Um brasileiro lutando pelas praias de Miami

Newspaper: AcheiUSA
Title: Um brasileiro lutando pelas praias de Miami
Author/Reporter: Antonio Tozzi
Date: 2005

Luiz Rodrigues, natural de Niterói, dei-xou sua cidade há 26 anos. Seu destino: Califórnia. Durante os 20 anos em que morou no Golden State ele estudou biologia marinha e oceanografia, assuntos pelos quais se apaixonou.

Seis anos atrás, Rodrigues decidiu mudar de estado. Na mudança do Golden State para o Sunshine State, no entanto, trouxe consigo a paixão pelos movimentos ecológicos, sobretudo aqueles ligados à fauna e flora aquática. “Na Califórnia, participei de várias organizações de defesa do meio-ambiente, que lá são bastante ativas”, comentou o ecólogo.

Logo que chegou a Miami procurou informar-se sobre qual organização ambientalista ele poderia filiar-se. Encontrou a Ecomb (Environmental Clean up of Miami Beach, nas sigla em inglês), uma entidade dedicada a retirar o lixo das praias da região de Miami.

Novo presidente – Seu entusiasmo, sua formação universitária e sua participação ativa foram notados pelos membros da organização não governamental. Tanto que, em 2001, a então presidente teve de se retirar e os diretores decidiram passar a organização para o comando de Luiz Rodrigues.

Ele decidiu aceitar o desafio. A primeira coisa foi formar uma nova diretoria para trabalhar mais efetivamente na preservação ambiental de Miami Beach. “Eu queria expandir a ação da entidade. Por isto, mantive a sigla Ecomb, mas ampliei o conceito. Em vez de só limpeza, a proposta passou a ser mais abrangente. Agora Ecomb é a sigla para Environmental Coalition of Miami Beach e atua em quatro áreas: combate ao lixo e à sujeira, reciclagem, educação em ecossistema e preservação, e equipes ecológicas, formadas por voluntários”, explicou o ambientalista.

Os programas ecológicos são ministrados em escolas, igrejas e empresas, sempre com o objetivo de conscientizar crianças e adultos sobre a necessidade de se evitar sujeira nas praias e nos canais. Além de despertar a consciência ecológica, estes lugares servem para captar voluntários que se integram às equipes de limpeza dos locais públicos. Além do mais, o programa ensina também a importância de se conservar água e energia, fala sobre produtos químicos, reciclagem e outros assuntos

Voluntários dão apoio – Luiz Rodrigues diz estar muito satisfeito com o apoio dos voluntários que sempre respondem positivamente às convocatórias. Sempre que tem um programa de limpeza de canais ou de praias ou mesmo parques, ele dispara e-mails para uma extensa lista de pessoas que na medida do possível confirmam a possibilidade de participar do programa naquela data específica.

Aí, ele entra em contato com o Public Works Departament, um dos órgãos públicos com o qual o Ecomb trabalha (os outros dois são Neighborhood Services e Environmental Resources), para eles darem o suporte necessário. Isto é, fornecer luvas, sacos e caminhões de limpeza, além de galões de água para as pessoas que estão doando seu tempo e seu trabalho em prol da comunidade.

Se há algo que deixa Luiz Rodrigues e sua equipe entristecidos é o fato de fazer o trabalho de limpeza de um trecho da praia pela manhã e constatar, à tarde, que ela está tão suja como estava no dia anterior. Para evitar isto, a Ecomb está produzindo um material de divulgação, composto por aerial banners – mensagens veiculadas por pequenos aviões que sobrevoam as praias -, vídeo educativo e um concurso de mensagens anti-sujeira, em inglês e em espanhol, entre os alunos do Miami Beach Senior High School. Aliás, vale lembrar os estudantes que participar os programas do Ecomb equivale a serviços comunitários, exigidos pelas escolas secundárias.

Fundos financeiros – É evidente que para fazer todos os programas caminharem como se deseja é preciso dispor de dinheiro, artigo escasso na Ecomb. “O escritório da entidade funciona aqui na minha casa. Precisamos que alguma empresa ceda um espaço para que possamos operar num escritório de verdade. Além disto, necessitamos de verba para implementar os programas”, reivindica Rodrigues.
Na verdade, ele já identificou a Ecomb como um entidade viável economicamente. Porém, é preciso que ele se dedique a apresentar os projetos da entidade aos empresários para captar patrocínios para a viabilização dos programas, o que se torna difícil pela falta de tempo, uma vez que Luiz precisa trabalhar para se manter.

Evidentemente, Luiz Rodrigues vê com bons olhos a participação de empresas brasileiras nestas ações, uma vez que elas uniriam seus nomes a uma causa simpática à população e apoiariam a iniciativa de um patrício.

A Ecomb vem tentando obter grants (verbas concedidas pelos governos) do município de Miami Beach, pois a entidade conta com o conhecimento dos vereadores e do prefeito da cidade. É preciso, entretanto, que este apoio se reverta em verbas para que todos os programas previstos pela entidade se tornem realidade. E está com um programa de captação de membros de vários níveis – que vai de $250 anuais até mais de $ 10,000.

Diversos programas – Além da limpeza dos locais públicos, a Ecomb tem projetos mais ambiciosos, conforme revela o diretor da entidade. Ele e sua equipe pretendem restaurar as dunas e os manguezais que compunham o ecossistema nativo de Miami Beach. “Entre as ruas 3ª e 6ª havia recifes de corais até o ano de 2002. Depois que a prefeitura colocou mais areia para aumentar a praia as correntes longitudinais cobriram os recifes de corais. O melhor é que dava para chegar aos corais somente fazendo snorkel, ou seja, pouco além da área demarcatória das bóias. Queremos recuperar estes corais”, sonha o ecólogo.

E o projeto ainda tem um cunho econômico, porque certamente incrementaria o tu-rismo ecológico. Os turistas, assim como os moradores de Miami Beach, poderão desfrutar de um ambiente marinho mais saudável e rico. Por isto, as ações da Ecomb são fundamentais no sentido de resgatar e preservar o ecossistema da região.

Se você tem interesse em formar uma entidade como a Ecomb na região em que vive, Rodrigues revela que pode dar todo tipo de assessoria. Para estes interessados e para aqueles que desejam filiar-se à organização, basta entrar em contato com a entidade através do e-mail ecomb@ecomb.org ou visitar o website www.ecomb.org.